Com prioridade para receber combustível, empresas de ônibus vivem no limite

As empresas de ônibus são uma das prioritárias ao receber combustíveis dos postos durante estes dias marcados pela greve dos caminhoneiros. Segundo Nilson Queiroga, diretor técnico do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município (Seturn), todos os dias um caminhão-tanque é escoltado pela polícia até as empresas para abastecer os ônibus.
Porém, de acordo com Nilson, os transportes públicos urbanos são dependentes desse abastecimento diário, caso contrário as reservas podem se esgotar em menos de dois dias. O Seturn foi autorizado, pela Prefeitura de Natal, a reduzir as frotas de ônibus na sexta-feira, 25, por razão dos protestos realizados pelos caminhoneiros em todo o país, que bloqueiam as estradas e rodovias federais. Com este bloqueio, não é possível repor, por completo, os estoques de diesel das empresas.
Para evitar maiores problemas, a Seturn solicitou a redução da frota, para, assim, diminuir o número de veículos nas ruas e poupar os combustíveis restantes. A Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU) autorizou a redução da frota para evitar o colapso total do sistema de transportes em virtude da falta de combustível. Com a decisão, 70% da frota circula pelas ruas de Natal.