Padre fez sexo com ex-coroinha antes de ser morto por ele na PB, diz polícia

O padre Pedro Gomes Bezerra manteve relações sexuais com um ex-coroinha pouco antes de ser roubado e assassinado por ele em Borborema, na Paraíba. Esta é a conclusão do inquérito policial finalizado na sexta-feira (22), informou o delegado Diógenes Fernandes, responsável pela investigação.
O padre foi encontrado morto dentro de casa no dia 24 de agosto, em Borborema. Ele foi alvo de ao menos 29 facadas, segundo a perícia.
Para o delegado, ficou confirmado que o suspeito – que segue foragido – de esfaquear e matar o padre usou a intimidade que tinha com a vítima para roubá-la. Um adolescente, que foi apreendido cinco dias após o crime, também é suspeito de participar do assassinato.
Em sua primeira versão à polícia, o adolescente confessou o crime. Ele disse que foi convidado para consumir bebidas alcoólicas dentro da casa e que o homicídio aconteceu depois que o padre tentou fazer sexo com ele. Em uma segunda versão, informou que a motivação para o crime não era passional, mas patrimonial.
O adolescente foi condenado a cumprir medida socioeducativa de internação, no prazo máximo de três anos. A sentença do juiz da Comarca de Serraria, André Ricardo de Carvalho Costa, foi divulgada nesta terça-feira.

Ex-coroinha está foragido


De acordo com Diógenes Fernandes, o jovem foragido, que foi coroinha na mesma paróquia, mantinha uma relação de intimidade muito grande com o padre. Dois dias antes do crime, ele entrou em contato com Pedro Gomes e disse que apresentaria um amigo – que é o adolescente apreendido.
O padre então se encontrou com o ex-coroinha e o adolescente em Arara, município próximo a Borborema, e os levou para a casa paroquial sob o pretexto de assistirem a um jogo de futebol pela TV.
"No dia do crime, eles se encontraram sob o pretexto de ver o jogo. Houve consumo de bebida alcoólica e o jovem, ex-coroinha, manteve relações sexuais com o padre. Em seguida, com uma faca da própria casa, ele esfaqueou o padre. A intenção dos dois jovens era roubar R$ 10 mil do cofre da casa paroquial, pois a igreja da cidade havia arrecadado muito com a festa da padroeira de Arara, cidade que pertence à paróquia de Borborema”, explicou o delegado.

0 Comentários