Jim Carrey é processado pelo suicídio de ex-namorada e nega acusação

O ator canadense Jim Carrey foi processado nessa segunda-feira por negligência no suicídio de sua ex-namorada, Cathriona White, acusado de ter comprado as substâncias que a jovem usou para se matar.
Após conhecer a denúncia, o ator divulgou um comunicado para a imprensa, onde negou de maneira contundente as acusações.
“Não vou tolerar esta tentativa desalmada de me explorar ou a mulher que amei. Os problemas de ‘Cat’ nasceram muito antes que eu a conhecesse e, infelizmente, seu trágico fim estava fora do controle de qualquer pessoa”, afirmou o ator.
“Eu realmente espero que as pessoas deixem de tentar tirar proveito disto e a deixe descansar em paz”, concluiu Carrey.
Cathriona White, de 30 anos, morreu em setembro de 2015 devido a uma overdose de comprimidos.
Mark Burton, que era o marido de White no momento de sua morte apesar de estarem separados, foi quem apresentou o processo hoje no Tribunal Superior do condado de Los Angeles (Califórnia), segundo indicou seu advogado, Michael Avenatti, no Twitter.
O texto da denúncia, de acordo com a informação de diferentes veículos de comunicação americanos, sustenta que Carrey adquiriu substâncias sob um nome falso e que posteriormente as deu a Cathriona.
A acusação alega que o ator forneceu essas substâncias a Cathriona White apesar de saber que era “propensa à depressão e que tinha tentado suicidar-se previamente”, o que levou a um resultado fatal que era “previsível”.
Após o suicídio da jovem, o ator tentou supostamente encobrir “seu envolvimento e culpabilidade na morte de Cathriona”, acrescenta a acusação.
Embora as informações sejam confusas sobre a duração e natureza de seu romance, parece que Carrey e Cathriona se conheceram em 2012 e tiveram uma relação que terminou poucos meses depois. Em maio de 2015 retomaram o relacionamento, que terminou poucos dias antes do suicídio dela.


Fonte: Terra

0 Comentários